Houve troca de tiros entre policiais civis e três suspeitos. Um deles morreu e os outros dois fugiram

A Polícia Civil deflagrou a “Operação Ouro e Prata”, em Tucuruí, sudeste paraense, na última terça-feira (26). O objetivo era desarticular uma associação criminosa especializada em assaltar ônibus de transporte de passageiros que trafegam na região. Durante a operação, houve troca de tiros entre policiais civis e três suspeitos, na rodovia de acesso à cidade. Um deles morreu e os outros dois fugiram.

banner_home_principal2-e14196180055471

Segundo o delegado da Superintendência de Tucuruí, Eduardo Paisani, a operação foi resultado de investigações, que apontaram um grupo de assaltantes que iria assaltar novamente o coletivo da empresa Ouro e Prata, que opera no município.

As Polícias Civil e Militar de Tucuruí e Marabá já vinham investigando a quadrilha que era composta por pelo menos oito bandidos e que já haviam feito diversos roubos na estrada entre Pacajá e Novo Repartimento e também entre Repartimento e Marabá.

Bandidos atiraram violentamente contra o ônibus (Fotos Polícia Civil)
Bandidos atiraram violentamente contra o ônibus (Fotos Polícia Civil)

A inteligência das polícias identificou a possibilidade de um novo assalto nesta madrugada. Informações davam conta de que a quadrilha pretendia tomar de assalto o ônibus da empresa Ouro e Prata que iria de Marabá para Itaituba.

A equipe policial seguiu até um ponto da rodovia, por onde passaram o veículo de transporte de passageiros, para fazer a abordagem do ônibus, no momento em que passasse no local.

Policiais encontraram duas escopetas calibre 12 com vários cartuchos intactos
Policiais encontraram duas escopetas calibre 12 com vários cartuchos intactos

Durante a revista, os policiais civis abordaram o casal Ocione Rodrigues Pompeu, 25, e Saleta Pereira Andrade, 42, ambos residentes na Vila de Maracajá, que viajava como passageiros. Os dois, segundo o delegado, eram os informantes do grupo de assaltantes responsáveis em repassar informações de dentro do veículo aos comparsas. De acordo com o delegado, os assaltantes, que fariam a abordagem do ônibus, estavam no interior de um carro de cor preta, roubado em Marabá.

O casal de bandidos foi monitorado pela Inteligência do CPR IV, e Guarnições do GTO de Marabá e Tucuruí, além de GU de Novo Repartimento, da Vila Cajazeira/Itupiranga e GU da Polícia Civil que fizeram campana no local apontado onde seria o roubo, Vila Cajazeira.

O assalto não aconteceu, mas como o casal de bandidos já estava sendo monitorado, foi dado voz de prisão para ambos, que confessaram que os seus comparsas tomariam de assalto o citado ônibus e ainda outros dois que vinham sentido Marabá em uma ponte localizada a cerca de 20Km de Novo Repartimento.

No local informado os bandidos fizeram uma emboscada em cima de uma ponte e, quando perceberam a presença das guarnições da PMPA e da PC, atiraram violentamente contra o ônibus. Houve troca de tiros e dois bandidos foram baleados no local e os outros empreenderam fuga. Na troca de tiros, um dos suspeitos, Cleone da Conceição Rodrigues, 28, morador de Novo Repartimento, morreu no local.

Com ele, os policiais encontraram duas escopetas calibre 12 com vários cartuchos intactos e três deflagrados e um veículo Sonic, roubado em Bom Jesus do Tocantins, cor preta, placa OLI 9487.

Após diligências por toda a madrugada, ao amanhecer a polícia localizou um segundo bandido, Elton da Costa Pompeu, 22, residente na Vila de Maracajá, líder da quadrilha, que reagiu atirando contra os policiais, sendo alvejado e também vindo a óbito.

Um terceiro criminoso, Jair de Souza Lima, 26, residente na Vila de Maracajá, que enfrentou a guarnição e havia sido baleado estava escondido na casa de seu pai foi preso no momento em que procurou o hospital em Novo Repartimento.

A quadrilha era extremamente violenta, sendo responsável por duas mortes em roubos na estrada: a do motorista da Coca-Cola, que residia em Tucuruí, e também de um passageiro da mesma empresa, Ouro e Prata, que recebeu um tiro no pescoço, apenas por ter olhado para um dos assaltantes.

Com informações da Polícia Civil