Plantas nativas doadas periodicamente pela Eletrobras Eletronorte a produtores, entidades e associações locais estão ajudando a reflorestar a região do lago de Tucuruí

Graças ao novo viveiro de mudas, a capacidade de produção de mudas de espécies nativas açaí, paricá, ingá, pau-rosa, cupuaçu, copaíba, ipê e mogno vai aumentar. Essas plantas são produzidas pela Eletrobras Eletronorte, por intermédio da Superintendência de Geração Hidráulica (OGH), e são doadas periodicamente a produtores, entidades e associações locais e estão ajudando a reflorestar a região do lago de Tucuruí.

Com o novo viveiro, transferido pela gerência de Implantação de Ações Socioambientais de Tucuruí (EEMI), a produção de mudas gerenciada pela Divisão de Ações Ambientais de Geração passa de 2 mil para 6 mil mudas ao mês. A capacidade de armazenamento agora é de 120 mil plantas, antes, o antigo viveiro comportava uma produção de até 75 mil mudas por ano.

Carmen Rocha, gerente da Divisão de Ações Ambientais de Geração, explica que essas mudas fazem parte dos processos que compõem o programa do Banco de Germoplasma, onde as sementes das árvores preservadas na Ilha de Germoplasma são colhidas e manuseadas a fim de garantir a alta qualidade e a perenidade das diversas espécies arbóreas da região.

O novo viveiro compõe uma área de 2800 metros quadrados e está localizado na Unidade de Propagação e Conservação de Plantas, Horto Florestal da Eletrobras Eletronorte, onde as sementes são beneficiadas e de lá, doadas in natura ou já na forma de mudas para reabilitar o ecossistema da região.

Carmen explica ainda que o novo ambiente, por ser mais moderno, amplo e possuir um sistema de irrigação próprio, vai contribuir para a intensificação de produção de mudas visando atender projetos de reflorestamento em áreas degradadas em Tucuruí e região.

O Banco de Germoplasma foi criado em 1984, por meio de um projeto conjunto da Eletrobras Eletronorte e do instituto de Pesquisas da Amazônia (INPA), com a finalidade de coletar e preservar o potencial genético de espécies da flora de interesse econômico e científico.

DEIXE UMA RESPOSTA