As finais do Parazão acontecem no dia 30 deste mês e 7 do próximo, dois domingos, ambos às 16h.

Teste para cardíaco. Assim foi a batalha do Clube do Remo contra o Independente, valendo vaga na final do Parazão. Depois de um 3 x 1 heroico no tempo normal, o Leão sofreu nas penalidades máximas, mas conseguiu vencer o Galo e fará clássico com Paysandu na decisão.

O Independente ainda chegou a sair na frente, no primeiro tempo, em belo gol do Magno, de fora da área. O Remo empatou com Igor João, de cabeça. Também de cabeça, Henrique e João Victor, nos minutos finais, levaram a decisão para os pênaltis, quando o time azulino foi mais feliz e bateu o adversário por 10 x 9.

As finais do Parazão acontecem no dia 30 deste mês e 7 do próximo, dois domingos, ambos às 16h.

O JOGO

O Clube do Remo fez um primeiro tempo para o torcedor esquecer diante do Independente. Apesar de estar jogando em casa e com apoio da torcida, o Leão não teve organização e saiu da primeira metade da partida em desvantagem no placar.

Apesar da posse de bola inicial, o Galo foi mais perigoso nos contra-ataques, sempre usando jogadas com os pontas Magnas e Wegno, que deram trabalho aos defensores azulinos, chegando a colocar uma bola na trave do goleiro André Luís.

O gol, então, saiu de forma surpreendente. Magno, que caia pelo lado esquerdo, ganhou da marcação e acertou um chute do meio da rua, pegando André Luís desprevenido. 1 x 0.

Josué Teixeira fez duas mudanças, deixando o time mais ofensivo com Lucas Vitor e João Victor. O empate, porém, quase veio com Gabriel Lima, que recebeu livre na grande área e chutou rasteiro, mas a redonda foi para fora. O placar permaneceu o mesmo até o intervalo.

No segundo tempo, o Remo abdicou da parte tática e valorizou o espírito de luta. Josué Teixeira colocou o Remo ainda mais para cima do Independente, praticamente fazendo um jogo de cruzamentos para a área do clube de Tucuruí.

O primeiro gol, o do empate, não demorou. Em chuveirinho, Igor João apareceu como centroavante e tocou para o fundo da rede do goleiro Evandro Gigante.

O Leão insistiu bastante e foi premiado na reta final de partida. Em dois cruzamentos para a área, primeiro foi Henrique quem testou no escanteio e virou o jogo. Depois, nos últimos instantes, foi João Victor quem deu o resultado que levaria para os pênaltis.

PÊNALTIS

Nas disputas de pênalti, a série de cinco para cada só não foi definida pelo Independente porque Wesley Bigu desperdiçou a cobrança da classificação, deixando o Leão empatar. Antes, João Victor já havia perdido pelo Clube de Periçá.

Nas cobranças alternadas, Ezequias perdeu para o Independente, mas Henrique repetiu o feito para o Remo. Depois de todos os batedores colocarem a bola dentro, Anderson bateu por cima do gol, enquanto Val Barreto cobrou o segundo pênalti com precisão e classificou o Leão nos penais, por 10 x 9.

FICHA TÉCNICA

CLUBE DO REMO: André Luís, Léo Rosa (João Victor), Henrique, Igor João e Tsunami; Elizeu, Marquinhos (Val Barreto) e Jackinha (Lucas Vitor); Jayme, Gabriel Lima e Edgar

INDEPENDENTE: Evandro; Rodrigo (Wesley); Martony, Ezequias Mocajuba; Dudu, Chicão e Wellington; Wegno (Anderson), Magno e Monga

GOLS: Magno (Independente) / Igor João, Henrique e João Victor (Remo)

ESTÁDIO: Mangueirão, Belém (PA)

ARBITRAGEM: Dewson Fernando Freitas da Silva, Luís Diego Nascimento Lopes e Heronildo Sebastião Freitas da Silva

DOL

DEIXE UMA RESPOSTA