A piscicultura é uma das alternativas para geração de emprego e renda, através de projetos sustentáveis na região

47 moradores das comunidades Clezinho, Liberdade, Bom Jesus e Porto Novo, localizadas no Mosaico Lago de Tucuruí, receberam esta semana capacitação em piscicultura, organização social, econômica e política. A capacitação foi realizada pela gerência do Mosaico Lago de Tucuruí do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), em parceria com a Prefeitura de Goianésia e Central das Colônias de Pescadores da Bacia Hidrográfica do Araguaia Tocantins (Cecoat), que teve como principal objetivo capacitar os piscicultores através da disseminação do conhecimento de técnicas para o trabalho, como forma de aumentar a produção pesqueira na região.

 

Na ocasião, foram abordados importantes assuntos, como os tipos de sistema de produção, manejo de tanques escavados e tanque rede, engorda de peixe, qualidade da água, além de projetos de piscicultura em Unidades de Conservação. “O objetivo do instituto é levar a capacitação aos sete municípios que compõem o Mosaico Lago de Tucuruí, tendo em vista que a piscicultura é uma das alternativas para geração de emprego e renda, através de projetos sustentáveis”, ressaltou Mariana Bogéa, gerente da Região Administrativa do Mosaico do Lago de Tucuruí do Ideflor-bio. Ela informou, também, que a segunda etapa do curso será realizada ainda este ano.

Para Antônio Nunes, representante da Central das Colônias, as ações de fomento à piscicultura são fundamentais, tendo em vista a escassez do pescado na área. “As ações devem ser acompanhadas de projetos que viabilizem o beneficiamento do pescado”, disse.

A piscicultura proporciona um elevado nível de qualidade do peixe para consumo humano, devido aos cuidados com alimentação, controle das taxas de crescimento e das propriedades da água onde os peixes são criados.

A prática possibilita também, a criação de espécies que estão ameaçadas de extinção, contribuindo para a preservação da diversidade da fauna, gerando renda ao pequeno e médio produtor rural com um modelo de trabalho sustentável.

Criado pela Lei Estadual nº. 6.451, de 8 de abril de 2002, o Mosaico Lago de Tucuruí é constituído por três Unidades de Conservação: a Área de Proteção Ambiental (APA) Lago de Tucuruí e as Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Alcobaça e Pucuruí-Ararão, compreendendo os municípios de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Novo Repartimento, Nova Ipixuna e Itupiranga.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorProfessores concursados protestam em Marabá
Próximo artigoUnacon Tucuruí oferece assistência oncológica de alta complexidade
Denis Aragão
É jornalista e profissional de marketing. Bem antenado e com ampla experiência no jornalismo online e impresso. Tem atuado como gestor de mídias sociais e assessor de imprensa. Fera em produção de conteúdo para a web, ama cinema, literatura, cultura geek, fotojornalismo e design gráfico. Ama o que faz. Simples assim!