No total, cinco dos 10 suspeitos da ação foram detidos. Crime ocorreu em setembro. Bando fugiu em caminhões.

A polícia apresentou nesta quarta-feira (2) em Marabá, sudeste do Pará, mais três suspeitos de participar no assalto à transportadora de valores, ocorrido em setembro deste ano. O casal Leonardo Freire e Leilane Barbosa Sales, além de Gilvan Pereira da Silva foram presos na zona rural do município. Com a apresentação destas três pessoas, já são cinco presos que teriam participação direta no assalto.

No último dia 5 de setembro, suspeitos instalaram explosivos e detonaram o prédio de uma transportadora de valores no município de Marabá, durante a madrugada. A ação foi registrada por câmeras de segurança

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), os criminosos utilizaram dois caminhões roubados para chegar até a sede da transportadora no bairro Novo Horizonte, no núcleo Cidade Nova, por volta de 1h30. Cerca de 10 homens seguiram nos caminhões até o local, enquanto o resto do bando ficou do outro lado da ponte sobre o rio Itacaiúnas. A empresa Prosegur informou que nenhum de seus funcionários foi ferido e que está à disposição das autoridades e colaborando para o andamento das investigações, mas o valor roubado não foi divulgado.

Ação criminosa
Após explodir o prédio, os criminosos saquearam os cofres. Na fuga, eles posicionaram os veículos sobre as duas vias da ponte. Nesse momento, houve a aproximação de policiais militares que, no momento da abordagem aos assaltantes, foram recebidos a tiros.

Na troca de tiros, uma policial militar do Grupamento Tático foi baleada em uma das pernas. Em seguida os bandidos explodiram os dois caminhões e saíram em fuga em seis carros, já posicionados no outro lado da ponte. Durante a fuga, um dos veículos foi queimado, dois foram abandonados na estrada e os outros três foram jogados no rio Tocantins, na saída de Marabá, no sentido de Itupiranga.

Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados para apagar as chamas dos caminhões e liberar a passagem de veículos sobre a ponte. Os criminosos teriam fugido em duas lanchas pelo rio Tocantins, segundo informações preliminares, e os policiais concentram as buscas por estradas vicianais de municípios vizinhos a Marabá.

G1 Pará

DEIXE UMA RESPOSTA