Plenária da Câmara de Itupiranga ficou lotado para acompanhar o desfecho do processo que culminou com a permanência de Milesi no cargo do Executivo

Por nove votos a favor, relatório que pedia o afastamento de José Milesi foi arquivado

Em sessão ordinária a Câmara Municipal de Itupiranga, nesta terça-feira (2), rejeitou o afastamento do Prefeito José Milesi do cargo. Nove vereadores votaram a favor do parecer da comissão processante analisava o pedido de afastamento do prefeito.  Três vereadores apenas votaram pelo afastamento de Milesi que permanece à frente do Executivo.

O vice-presidente da Casa, Jairo Jadjiski, usou a tribuna para lembrar que o pedido de abertura de processo para investigar o prefeito foi assinado por dez dos treze vereadores, sendo que os três que não assinaram estavam em viagem para capital a serviço da Câmara Municipal de Itupiranga.

Leia também

Itupiranga – Prefeito rebate acusações e orienta secretariado para evitar crise com o Legislativo

Co-autor, o vereador Jordão Martins disse em seu pronunciamento no dia 19 de Março, junto com o vereador Frank Dias, foi dada entrada no pedido de processo de afastamento do prefeito. Ele reclamou que somente após 150 dias foi ouvido pela comissão. Ele que não assinou o depoimento, e por isso repudiou o conteúdo do relatório. “O pedido de afastamento do prefeito não é apenas por não ter respondido a um simples requerimento, e sim por omitir informações importantes para transparência da gestão municipal”, vociferou o parlamentar.

O vereador Frank Dias afirmou que o requerimento lido no relatório não é o mesmo que gerou o pedido de afastamento do prefeito José Milesi, por esse motivo repudiou o relatório.

Ele explicou que o requerimento que motivou o pedido de afastamento do Prefeito, solicitava a prestação de contas da obra de calçamento do bairro Vitória. “Há suspeita de superfaturamento em torno de R$ 200”, lembrou o vereador.

O relator Junior Belchior disse que após meses de trabalho, a comissão emitiu um parecer altamente técnico e não político orientando para a permanência de José Milesi no cargo de prefeito por não haver evidências das denúncias.

Após ouvir os denunciantes e o relator, o presidente Paulo Barros seguiu o regimento da casa dando inicio a votação. Como a maioria decidiu pela manutenção do cargo de Milesi, o presidente Paulo Barros arquivou o processo de afastamento e deu por encerrada a sessão às 13h.

Por Denis Aragão

COMPARTILHAR
Artigo anteriorTucuruí – Arrecadação do ICMS vai cair em 2020
Próximo artigoEx-prefeito de Tucuruí é condenado por improbidade administrativa
É jornalista e profissional de marketing. Bem antenado e com ampla experiência no jornalismo online e impresso. Tem atuado como gestor de mídias sociais e assessor de imprensa. Fera em produção de conteúdo para a web, ama cinema, literatura, cultura geek, fotojornalismo e design gráfico. Ama o que faz. Simples assim!

DEIXE UMA RESPOSTA