Delação de Ricardo Saud revela propina paga a Jader para campanha de Helder

O procurador geral da República, Rodrigo Janot, vai pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de novo inquérito contra o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho (PMDB), desta vez por conta de uma propina de R$ 8,9 milhões recebida do grupo JBS na campanha eleitoral de 2014, quando disputou e perdeu a eleição para o governo do Pará para Simão Jatene (PSDB,), que buscava reeleição.

Helder Barbalho já responde a um inquérito, autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator dos inquéritos dfa Operação Lava Jato no STF envolvendo denunciados que contam com forom especial, caso de ministros de Estado, deputados federais e senadores. O filho do senador Jader Barbalho apareceu no Listão da Odebrecht, que liberou R$ 2,2 milhões para a sua campanha, de Helder, ao governo em 2014.

Além de Helder Barbalho, vulgo “Cavanhaque” na lista de corrompidos na Odebrecht, também deverão ser denunciados ao STF, com pedido de abertura de inquérito, segundo apurou o jornal “Folha de S. Paulo”, os ministros Gilberto Kassab (Comunicações), do PSD, Bruno Araújo, das Cidades, do PSDB, e Marcos Pereira, do PRP, da Ciência e Tecnologia.

O novo inquérito contra Helder Barbalho será baseado nas declarações, em delação premiada já homologada pelo ministro Edson Fachin, do executivo Ricardo Saud, da J&F, holding do grupo JBS. Saud confessou em depoimento dado para procuradores da República que repassou propina de R$ 8 milhões, 980 mil para Jader Barbalho e Helder Barbalho.

Ricardo Saud detalhou em vídeo como foram distribuídos os R$ 35 milhões destinados a senadores d0 PMDB que ameaçavam apoiar a candidatura de Aécio Neves presidente em 2014, e assegurou que parte do dinheiro da propina bancou a campanha de Helder Barbalho ao governo do Estado do Pará.

“Foram R$ 8 milhões para o Jader Barbalho, e aqui eu quero explicar que os R$ 8 milhões, se o senhor me permite, na verdade são R$ 6 milhões pra ele, e ele fez o que bem entendeu; e R$ 2 milhões, 980 mil foi para o Helder Barbalho”, delatou Ricardo Saud.

O diretor executivo do JBS entregou aos procuradores farta documentação sobre o pagamento. Em sua delação, Saud acrescentou: “Então está aqui nos meus anexos explicando como é que foi. O Jader Barbalho recebeu R$ 6 milhões, sendo que aí ele doaram depois R$ 2 milhões, R$ 3 milhões para o Helder Barbalho. Mas eu entendo aqui que esses R$ 8.980 milhões o Jader direcionou tudo pro filho dele, que era candidato ao governo do Pará em 2014.”

ORM

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEstudo comprova que o Pará está livre da Febre Aftosa
Próximo artigoVenezuela proíbe que redes de TV transmitam protestos ao vivo
É jornalista e profissional de marketing. Bem antenado e com ampla experiência no jornalismo online e impresso. Tem atuado como gestor de mídias sociais e assessor de imprensa. Fera em produção de conteúdo para a web, ama cinema, literatura, cultura geek, fotojornalismo e design gráfico. Ama o que faz. Simples assim!

DEIXE UMA RESPOSTA