Ações fazem parte do planejamento para o período de defeso da pesca comercial na região, que começou dia 1º de novembro e vai até 28 de fevereiro. FOTO: ASCOM IDEFLOR

Desde novembro de 2017, a região mosaico Lago de Tucuruí conta com ações mensais de fiscalização ambiental.

Em apenas 6 dias de fiscalização ambiental na região do mosaico Lago de Tucuruí já foram apreendidos mais de 5 toneladas de pescado; 6.250 metros de malhadeiras irregulares; 8 armas de fogo; 27 arpões; pássaros; e caças, como tatu e capivara. As ações fazem parte do planejamento para o período de defeso da pesca comercial na região, que começou dia 1º de novembro e vai até 28 de fevereiro.

A região do Lago de Tucuruí encontra-se no período do Defeso – de novembro a fevereiro, quando a pesca comercial é proibida por lei. O período é para garantir a preservação dos peixes durante a sua reprodução, a fim de garantir a manutenção do estoque pesqueiro do lago.

Ações fazem parte do planejamento para o período de defeso da pesca comercial na região, que começou dia 1º de novembro e vai até 28 de fevereiro FOTO: ASCOM IDEFLOR
Ações fazem parte do planejamento para o período de defeso da pesca comercial na região, que começou dia 1º de novembro e vai até 28 de fevereiro – FOTO: ASCOM IDEFLOR

Desde novembro de 2017, a região mosaico Lago de Tucuruí conta com ações mensais de fiscalização ambiental que apresentam resultados positivos em vários aspectos, principalmente no que se refere aos recursos pesqueiros.

As ações, coordenadas pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), estão sendo realizadas em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Eletronorte, secretarias municipais de Meio Ambiente de Tucuruí, Breu Branco, Novo Repartimento, Jacundá, Goianésia do Pará, Nova Ipixuna e Itupiranga, além da Polícia Militar.

“A continuidade das ações está sendo fundamental para que se garanta o cumprimento das normas estabelecidas para o período do defeso, que é muito importante para a manutenção dos estoques pesqueiros na região”, afirma a gerente da região administrativa do Lago de Tucuruí, Mariana Bogéa.

Por Dilermando Gadelha

DEIXE UMA RESPOSTA