Ex-prefeito Sancler Ferreira foi condenado mas ainda pode recorrer da decisão (Arquivo)

MPF condenou o ex-prefeito a devolver R$ 1.6 milhão ao município. Ação também suspendeu os direitos políticos de Sancler por 7 anos. Ainda cabe recurso contra a decisão

O ex-prefeito de Tucuruí, Sancler Ferreira, foi condenado, em ação civil pública por improbidade administrativa, a devolver ao erário o valor de R$ 1.659.262,50 (um milhão seiscentos e cinquenta e nove reais e duzentos e sessenta e dois mil e cinquenta centavos) e teve suspenso seus direitos políticos por 7 anos, além do direito de contratar com o poder público.

A ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF) investigava a contratação fraudulenta de barcos para o transporte escolar de alunos moradores das ilhas do lago de Tucuruí.

Na sentença, ficou provado que Sancler, utilizando indevidamente recursos do FNDE, contratou a empresa S.A de Freitas para fornecer embarcações para o transporte dos alunos. Os pagamentos chegavam até a 100 mil mensais. 

A contratação deveria ter durado até 2012, mas foi indevidamente prorrogada até 2015. Além disso, no decorrer da ação, ficou provado que os barcos não eram próprios para o transporte de crianças, faltam kits de primeiros socorros e os condutores, da mesma forma, não eram habilitados.

A Justiça Federal ainda ordenou o bloqueio de bens de todos envolvidos no caso, bem como requisitou que o valor total desviado fosse devolvido aos cofres públicos, devidamente corrigido.

Ainda corre na justiça outro processo que apura o envolvimento do ex-prefeito de Tucuruí com a contratação de temporários que, ao invés de prestarem serviços para a prefeitura, na verdade, trabalhavam para a empresa Clean Gestão Ambiental.

Defesa

Em nota, o ex-prefeito esclareceu que é uma ação que trata do transporte escolar de barcos no lago de Tucuruí que o MPF, que se instalou na nossa cidade, apenas durante o seu mandato, entendeu atacar as ações de governo.   

O transporte escolar na zona rural na gestão, explica a nota, era considerada de excelência e as escolas construídas foram premiadas a nível nacional.

Durante o mandato foram recebidas pelo município, várias lanchas tipo voadeira, os pilotos dos barcos tiraram suas carteiras de habilitação através de convênio com a Marinha do Brasil, foram adquiridos coletes salva vidas para as embarcações e construídas 6 escolas na zona rural, sendo somente no lago três (Ouro Verde, Escola Manoel Mendes e Escola Santo Antônio).

Hoje, o Órgão MPF instituído no sistema de justiça, não está mais presente na cidade para comparar com os serviços essenciais prestados às nossas crianças e adolescentes. 

“Continuamos acreditando na Justiça e na verdade”, finaliza a nota enviada pelo ex-prefeito Sancler Ferreira.

Com informações de Pará Web News

DEIXE UMA RESPOSTA