O governador Helder Barbalho (c) com secretários e prefeitos do Consórcio (Foto: Marcelo Seabra/Ag.Pará)

PGE vai verificar condicionantes não cumpridas pela Eletronorte. Uma nova reunião entre representantes da empresa, governo do Estado e prefeitos será realizada

Os prefeitos do Consórcio de Municípios Alagados pelo Rio Tocantins (Compart) foram recebidos pelo governador Helder Barbalho na noite desta terça-feira (17), no Palácio do Governo, em Belém, para apresentar demandas da região, como a atuação da Eletronorte (Centrais Elétricas Brasileiras S.A.) e os efeitos da Hidrovia Tocantins-Araguaia para a população após a derrocada do Pedral do Lourenço, que não permite a plena navegação no Rio Tocantins.

Os gestores municipais explicaram ao chefe do Executivo estadual que há pelos menos dois anos tentavam conversar com o governo do Estado sobre essas questões, principalmente o não cumprimento de condicionantes financeiras e ambientais.

Durante a audiência foi sugerida a criação de um fundo abastecido com valores oriundos do funcionamento da Hidrovia Tocantins-Araguaia, para garantir o desenvolvimento dos municípios do entorno. Outras ações voltadas ao turismo, pesca esportiva e náutica, e instalação de portos também foram mencionadas pelos prefeitos. Os secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima, e de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O’de Almeida, participaram da audiência.

Vocações – “É uma satisfação receber vocês de volta, amigos com quem convivo há tanto tempo por conta da minha ligação com a Famep (Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará, da qual Helder Barbalho foi presidente). Acredito que podemos ver a hidrovia como algo que estimule a busca por novas vocações e possibilidades de crescimento”, frisou o governador, acrescentando que recomendou “aos dois secretários aqui presentes que se estude quais as atividades econômicas oportunizadas a partir da hidrovia, o que pode ser compatibilizado, levando em consideração a logística, as obras, a navegabilidade e a própria fauna”.

No encerramento da audiência, Helder Barbalho informou que manterá contato com a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para verificar as condicionantes não cumpridas pela Eletronorte, e ainda solicitar uma reunião entre representantes da empresa, governo do Estado e prefeitos.

Agência Pará

DEIXE UMA RESPOSTA