Eletronorte e Chesf assinaram contrato para implantação de sistemas em Balbina e Sobradinho, que vão gerar 10 MWp

Os primeiros projetos no Brasil para pesquisar a geração de energia elétrica em flutuadores no lago de usinas hidrelétricas foram formalizados nesta terça-feira. Durante cerimônia no Ministério de Minas e Energia (MME), Eletronorte e Chesf assinaram contrato com as empresas e institutos de pesquisa responsáveis pela pesquisa, que será realizada em plantas-piloto nas UHEs Sobradinho (BA) e Balbina (AM). O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que estimulou o desenvolvimento dos projetos, testemunhou a assinatura dos contratos.

Os projetos serão realizados com recursos destinados a ações de Pesquisa & Desenvolvimento pelas empresas, com previsão de investimentos de R$ 100 milhões (R$ 49,964 milhões da Eletronorte e R$ 49,942 milhões da Chesf), em ações previstas até janeiro de 2019, para gerar 10 MWp de energia elétrica.

Esse será o primeiro estudo sobre a instalação usina solar flutuante instalado no lago de usinas hidrelétricas no Brasil
Esse será o primeiro estudo sobre a instalação usina solar flutuante instalado no lago de usinas hidrelétricas no Brasil

O diretor-presidente da Eletrobras Eletronorte, Tito Cardoso Neto, destacou a qualidade técnica envolvida no projeto. “Não é por acaso que a Eletrobras Eletronorte foi chamada a participar, e destaco aqui a excelente qualificação técnica e o compromisso com a inovação que a Empresa tem em seu quadro. Estamos muito felizes em fazer parte desse projeto, juntamente com a Chesf, também uma empresa Eletrobras”.

De acordo com o diretor de Operação, Wady Charone Junior, esse um projeto inovador e do qual a Empresa tem muito orgulho de participar. “Explorar um lago de hidrelétrica para capturar essa energia complementar permite uma possibilidade ímpar de sermos pioneiros na medição dessa potência, em identificar qual a média de produção, que tipo de incidência solar, que tipo de sombra estamos tendo, quanto de evaporação teremos, enfim, são parâmetros importantíssimos de estudo. Estamos falando de coisas complementares, é um casamento fantástico entre as duas fontes e é motivo de orgulho participarmos desse momento da energia solar no Brasil”, disse.

De acordo com Ministério de Minas e Energia, esse será o primeiro estudo sobre a instalação usina solar flutuante instalado no lago de usinas hidrelétricas no Brasil, que permite aproveitar a área sobre a lâmina d’água dos reservatórios para a aplicação dos flutuadores com painéis de geração de energia pela luz do sol. A energia gerada pelos painéis pode complementar a base hidrelétrica das usinas, aproveitando a estrutura de transmissão já instalada para escoar a energia hidrelétrica e evitando novos investimentos. Projetos similares já foram aplicados com sucesso em outros países.

Cronograma 
O cronograma de implantação e pesquisa prevê o início da execução dos projetos em 29 de janeiro de 2016 em Balbina, e 1º de fevereiro em Sobradinho. A entrega das Plantas Piloto em Balbina e Sobradinho está prevista para agosto de 2016, com geração de 1 MWp em cada unidade. Em outubro de 2017, serão entregues as Plantas Piloto nas duas usinas, com geração de outros 4 MWp em cada unidade (8 MWp no total, que se somarão aos 2 MWp das plantas piloto). O encerramento do projeto e apresentação dos resultados está prevista para janeiro de 2019.

O projeto 

O projeto de pesquisa analisará o grau de eficiência da interação de uma usina solar em conjunto com a operação de usinas hidrelétricas. A pesquisa focará fatores como a radiação solar incidente no local; produção e transporte de energia; instalação e fixação no fundo dos reservatórios; a complementariedade da energia gerada; e o escoamento desta energia. Os resultados dos projetos permitirão avaliar a eficácia da produção média de energia solar nesses locais. As entidades que participarão do projeto são Sunlution, WEG, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (FADE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Fundação de Apoio Rio Solimões (UNISOL) e Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Agência Eletronorte, com informações do Ministério de Minas e Energia

COMPARTILHAR
Artigo anteriorReunião define últimos detalhes da reinauguração da ponte Moju
Próximo artigoWhatsApp está bloqueado por ordem judicial
É jornalista e profissional de marketing. Bem antenado e com ampla experiência no jornalismo online e impresso. Tem atuado como gestor de mídias sociais e assessor de imprensa. Fera em produção de conteúdo para a web, ama cinema, literatura, cultura geek, fotojornalismo e design gráfico. Ama o que faz. Simples assim!